terça-feira, 21 de julho de 2009

Ser especial na diferença

Enquanto mãe sempre foi minha preocupação alertar os meus filhos, desde pequenos, para a existência de realidades diversas, de mundos diferentes, de vidas onde o que para nós são rotinas para elas são conquistas. Honestamente não sei se tenho sido bem sucedida porque a nossa sociedade, infelizmente, na promoção dos apelos materialistas, no incentivo à procura de uma felicidade imediata desprovida de uma busca profunda do essencial, esconde constantemente dos seus olhos e dos seus corações essa realidade diferente. Como se escondê-la, ou não falar dela, evitasse que ela existisse. É de resto esse o pretexto que muitos invocam para evitar o assunto: "não quero falar disso porque fazê-lo me deixa muito triste". Mas não é tristeza o que deve provocar em nós esta outra realidade, mas admiração e fascínio perante a imensa grandeza de alma humana e a sua enorme capacidade de contornar limitações, superar incapacidades, gerir impossíveis e transformar dificuldades em desafios. De uma tal forma que faz com que o que nós, pessoas ditas normas, conseguimos aprender ao longo da vida, pareça nada ou muito pouco ao lado do caminho percorrido por essas pessoas especiais. Porque ser especial não é apenas ser agraciado com o supremo dom da inteligência, nem com o supremo dom da velocidade, ou da agilidade, ou da perspicácia, mas é sobretudo ser agraciado com o dom da força e da perseverança que são como o combustível da vida. E lembremo-nos que podemos ter um bom carro, mas se não lhe enchermos o depósito...
E é por isso que para mim, de entre todas as pessoas especiais, estas serão sempre as mais especiais!

3 comentários:

  1. Virgínia: A forma como vê e vive a vida, com alma de poeta, tem sido uma verdadeira inspiração. Em meu nome e em nome dos associados e formandos na Escola de Pais, agradeço toda a ajuda que nos tem dado e tem sido muita. Obrigada pela força, encorajamento, apoio e tudo o resto. Celmira

    ResponderEliminar
  2. Celmira, ainda que tardiamente retribuio a minha gratidão porque este projecto é tão maior que o meu ínfimo contributo... e faz-me crescer tanto! Bem haja e força!
    Virgínia

    ResponderEliminar
  3. Olá a todos.
    Venho partilhar o dia especial que vivi no dia 12 de Junho.O pic nic da diferença,esse mesmo.
    Pois é,aquilo que eu achava improvavel aconteceu mesmo:conseguir reunir pessoas ditas normais e pessoas portadoras de NEE, no mesmo espaço,ao mesmo tempo,sem o habitual preconceito.
    A verdade é que,durante 19 anos,me habituei a que as pessoas nos vissem de forma diferente, preconceituosa e aos comentários mais desagradáveis que se possa imaginar.
    O facto de ver toda a comunidade,diferente ou não,a divertirem-se e a partilhar de forma tão natural,tornou este dia muito especial.
    Apesar de não ter levado o meu filho,dado as suas actuais condições fisicas não o permitirem,fiquei muito feliz de poder partilhar este dia com todos aqueles que estiveram presentes.
    No entanto,notei a falta de algumas crianças e seus pais.Não é todos os dias que estes convivios acontecem e,acreditem,os vossos filhos teriam gostado.A nós,pais, cabe a tarefa de lutar para que os nossos filhos tenham um futuro melhor,mais justo e sem precoceitos.Por isso,acho que devemos repensar as nossas prioridades e lutar para que a Leque tenha força e possa ajudar-nos a dar um futura melhor aos nossos filhos, um futuro mais justo.
    Não podemos é ficar em casa á espera que os outros lutem por nós,temos que ser nós a lutar e só conseguiremos com união e força de todos.Para a próxima,pensem nisto.
    Queria agradecer a todas as pessoas que,com a Celmira,trabalharam e tornaram este dia possivel.Que Deus lhes pague cada minuto que dispensaram a esta causa.
    Á Celmira,em particular,em nome do Hélder,bem haja.
    A todos aqueles que conosco partilharam este dia,muito obrigada.
    Até sempre.
    Manuela Gomes.

    ResponderEliminar