terça-feira, 27 de abril de 2010

Opinando sobre a escola de pais.nee...

No decorrer destas semanas na escola de pais.nee, já pintámos, rimos, choramos, dançamos…, mas mais importante que tudo isto é o começo e consolidação de amizades a aprendizagem e a troca de experiências. O falar dos nossos meninos especiais, faz-nos perceber que afinal, por vezes, quando nos queixamos de problemas, por vezes insignificantes, estes não são nada comparados com os das várias famílias, espalhadas pelo nosso concelho. Estas famílias merecem todo o nosso respeito e admiração por terem de ser fortes, por elas e pelas pessoas especiais que têm ao seu cuidado. E, na maioria dos casos não têm apoio necessário para ultrapassar as dificuldades.
Formanda: O.D.



O que mais me marca nesta formação é o facto de se começar a falar mais atentamente sobre estes assuntos. Estas crianças estão muitas vezes fechadas em casa e esta formação ajuda as famílias a lidar melhor com a situação e verem que os seus meninos são como são, só que são diferentes, por isso têm o direito de ter as mesmas coisas que os outros ditos normais. Os pais não devem ter vergonha dos seus meninos por isso devem traze-los para a rua, para a vida social. Viva a diferença.
Formanda: AB.S.

Do meu ponto de vista esta formação era algo que Alfândega precisava. Nesta formação além de aprendizagem temos o convívio, a socialização, a troca de ideias e experiencias e a percepção da realidade.
Formanda: M.

2 comentários:

  1. Boa noite Celmira, bem, para dizer a verdade num principio estava com uma certa ansiedade em saber no que a formação Escola de Pais NEE ia dar, e ao longo destas semanas cheguei a conclusão que para algumas familias é um pouco tarde, a partilha de experiências está a ser muito boa, contar as habilidades das pequenas maravilhas que temos em casa, (as nossas crianças especiais que sendo catalogadas diferentes são iguais as outras, com as suas limitações é verdade, conseguem fazer com que as ditas "normais" não conseguem), espero estar a contribuir para que aqueles pais e não só que não têm crianças NEE se apercebam que não há tanta diferença entre umas e outras todas requerem atenção e carinho, umas mais do que outras é verdade, mas quem não tem dificuldades ao longo da vida?

    ResponderEliminar
  2. É bom perceber que a escola de pais está a chegar a mais familias do Distrito de Bragança e que estas finalmente têm um espaço de partilha de experiências e informação que permite lidar melhor com as emoções/preocupações do dia a dia.
    Eu já fiz a escola de pais e aconselho vivamente a que aproveitem ao maximo essa experiência e oportunidade tao enriquecedora em termos de formação e partilha. Espero que esta, chegue a muitos mais e nao seja um previlegio só de alguns.
    Maria Fernandes

    ResponderEliminar